Manutenção do catalisador exige atenção redobrada

inspecao-veicular_webA troca regular das juntas que compõem o sistema de exaustão é tão importante quanto a substituição do catalisador

 

Ao trocar peças do sistema de exaustão, escapamento ou catalisador, muitos motoristas e mesmo instaladores não sabem da importância da substituição das juntas, em especial a do flange, localizada entre o catalisador e motor.

 

A junta do flange é fundamental para uma vedação completa. Isso garante que, quando os gases do motor começarem a se dissipar, o sistema de exaustão permaneça intacto. A falta de vedação produz ruídos anormais, traz risco de danos e até quebra do catalisador, além de ser perigosa para a saúde, pois gases como o monóxido de carbono podem entram no interior do veículo.

 

Segundo Henrique Antônio da Rocha, analista de desenvolvimento de produto da Tuper, quando o catalisador é trocado é aconselhável substituir a junta do flange. “Se a junta estiver com vazamento, além de atrapalhar o funcionamento do catalisador, porque os gases não são filtrados antes de irem para a atmosfera, pode ocasionar a quebra do catalisador devido ao choque térmico entre o ar quente do motor e o ar frio que entra pelo vazamento”, explica. Esses vazamentos também podem dificultar a regulagem do sistema de injeção de combustível, pois as sondas presentes no catalisador fazem, neste caso, uma leitura incorreta dos gases.

 

Rocha salienta ainda que além da troca da junta do flange é necessário fazer o aperto correto das porcas e dos parafusos da peça. “Como é um lugar de difícil acesso no carro há uma certa dificuldade em fazer o ajuste adequado dos parafusos. Mas, é primordial que todos sejam bem apertados, pois no caso de ficaram frouxos pode haver vazamentos também”, salienta.

 

O funcionamento correto do catalisador e do sistema de exaustão, além de gerar economia de combustível e diminuir gastos com a manutenção do veículo, diminui a emissão de gases poluentes.

 

Sobre a Tuper

 

Com mais de 40 anos de atuação, a Tuper é a quinta maior processadora de aço do Brasil, segundo o INDA (Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço). A empresa acompanha a evolução do mercado com amplas linhas de produtos, atendendo as mais exigentes normas nacionais e internacionais.

 

Com quatro unidades industriais e capacidade produtiva de 550 mil toneladas de aço/ano, fornece para diversos segmentos como: Construção Civil, Automotivo, Implementos Agrícolas e Rodoviários, Industrial, Óleo e Gás, entre outros. Seu portfólio de produtos contempla soluções tubulares para aplicações industriais, estruturais e de condução, tubos para óleo e gás, soluções automotivas e sistemas construtivos.

 

Instalada em Santa Catarina, a Tuper é uma das 500 maiores empresas do Brasil, segundo o Anuário Exame 2013. Faturou R$ 1,461 bilhão em 2014 e vem crescendo em média 22% ao ano nos últimos 12 anos. Atualmente, emprega 2,5 mil profissionais e conta com 24 pontos de distribuição em todo o território nacional.

 

A empresa é a maior fabricante de escapamentos da América Latina e a única empresa do segmento que produz simultaneamente itens para as montadoras e para o mercado de reposição.

 

Fontes: Portal do Trânsito

 

Posted in Noticias.