Maus hábitos que podem render multa ao motorista

mao-no-volanteAlguns motoristas desenvolvem maus hábitos ao volante que podem render multas de trânsito. “O ato de dirigir às vezes torna-se tão automático, que sem perceber, o condutor está desrespeitando as leis e até colocando em risco a sua própria segurança”, alerta Celso Alves Mariano, especialista em trânsito e diretor da Tecnodata Educacional.

 

Segundo o especialista, a negligência é a causa de muitos acidentes e mortes. “Muitos motoristas conhecem as regras, mas não dão a devida importância”, diz Mariano.

 

O Portal do Trânsito selecionou algumas infrações corriqueiras nas grandes cidades, mas que podem render multa ao condutor e gerar perigo a todos os usuários do trânsito.

 

Dirigir falando ao celular

 

Cena mais do que comum no cotidiano do trânsito brasileiro é um condutor falando ao celular, seja ele motorista de carro, ônibus, táxi e até mesmo motociclistas.

 

Dirigir falando ao celular é considerado uma infração média, equivalente a jogar lixo na rua ou andar com o braço para fora da janela, porém o uso do celular é uma atividade muito perigosa, pois diminui os reflexos do motorista. “Usar fone de ouvido ou dispositivos de alto falante no carro são igualmente prejudiciais, pois também tiram a atenção do motorista”, diz Mariano.

 

De acordo com uma pesquisa divulgada pela Universidade de Utah, nos Estados Unidos, usar o celular ao volante aumenta em 400% o risco de acidente.

 

Bloquear um cruzamento

 

Muitos motoristas dirigem com pressa e ansiosos por chegarem ao seu destino, e por esse motivo acabam cometendo uma infração muito comum nas grandes cidades, que é bloquear um cruzamento, parando no meio das Caixas Amarelas.  “Muitos motoristas acham que dá tempo de atravessar uma via e quando percebem, estão no meio do cruzamento. Esta infração, além de contribuir significativamente com o aumento dos congestionamentos, ainda pode ser a causa de muitas brigas, pois muitos motoristas perdem a paciência ao enfrentar essa situação”, diz Mariano.

 

Além de prejudicar a fluidez do trânsito, os motoristas que não respeitam esta regra estão cometendo uma infração gravíssima, com multa de R$ 191,54 e acréscimo de sete pontos no prontuário da CNH.

 

Realizar conversão em local proibido

 

No trânsito é muito comum flagrar motoristas que acham que burlar a lei é sinônimo de esperteza. Para cortar caminho ou por pura falta de atenção a sinalização, alguns condutores realizam conversões em local proibido. “Qualquer manobra demanda atenção do condutor, essa atitude pode acabar em acidente”, alerta Mariano.

 

Segundo o Art. 207 do Código de Trânsito Brasileiro, realizar conversões em locais proibidos pela sinalização é infração grave, com multa de R$ 127,69 e acréscimo de 5 pontos na CNH.

 

Dirigir com o braço para fora do veículo

 

Esse hábito pode parecer inofensivo, mas dirigir com apenas uma mão e conduzir o veículo com o braço para fora pode ser perigoso. “Quando se está com apenas uma mão ao volante, em qualquer movimento brusco ou ocorrência ao redor, o tempo de reação será muito maior”, conta Mariano.

 

Pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), dirigir com apenas uma das mãos – exceto para fazer sinais de braço, mudar a marcha ou acionar equipamentos do veículo – consiste em infração média (quatro pontos na carteira de habilitação), com multa de R$ 85,13. Na prática, a legislação aponta que o motorista não pode usar uma das mãos para nenhuma atividade que não envolva a direção, o que inclui comer, fumar ou simplesmente deixar o braço para fora.

 

Estacionar em local proibido

 

“Vou ali e volto rapidinho”, essa é a desculpa mais comuns dos motoristas que estacionam em locais proibidos como fila dupla, em calçadas, gramados e até mesmo em vagas próprias para deficientes e idosos.  “O exercício da cidadania é fundamental no trânsito. Não podemos satisfazer nossas necessidades, passando por cima dos direitos dos demais”, explica o especialista.

 

As multas por estacionamento irregular podem variar de leves (por exemplo, estacionar em desacordo com as placas de estacionamento regulamentado) até gravíssimas (como estacionar na pista de rodovias). A maioria delas é passível de remoção do veículo.

 

Fontes: Portal do Trânsito

Posted in Noticias.